Criminal Minds: Red Light (12×22)

“A maldade que você me ensinou eu executarei, e será difícil, mas eu serei melhor que as instruções.” – William Shakespeare

Uma amiga disse ter gostado do final de temporada de Criminal Minds e eu só posso imaginar que ela se sentiu assim porque finalmente vimos Reid fora da cadeia depois de toda a história absurda dele sendo incriminado. Porque eu não consigo imaginar qualquer outro motivo para alguém falar isso. Red Light foi um episódio à altura da temporada, ou seja, fraco, irregular, esquecível.

Passando por uma Prentiss que não acredita quando Reid conta quem apareceu com sua mãe na cadeia, as cenas bregas da conversa entre Reid e Cat no “palácio mental” dele, o fato de Cat ter engravidado na prisão de um guarda, o mesmo do corredor do Reid na outra prisão, Lindsey e Cat “apaixonadas”, a participação totalmente alheia e desnecessária de Morgan (ainda que a gente sempre adore vê-lo) e encerrando com a equipe sendo facilmente pega em uma armadilha do senhor Scratch, bem, não dá para salvar muita coisa.

Sem contar o sono imenso que me deu o plano todo da moça: fazer Reid ir para o lado negro da força? Sério mesmo?

Quem sabe o fato do Reid ter conseguido enganar Cat – pela segunda vez, já que ele o fez quando prendeu -, seu reencontro com sua mãe e a presença de JJ ao lado dele, sempre a melhor amiga, sejam as únicas coisas que a gente realmente deva destacar aqui.

Dizer para vocês que eu não sei se aguento mais uma temporada igual a essa, gente!

4 Comentários em “Criminal Minds: Red Light (12×22)”

  1. Gbriela Santos

    Cara Simone,

    Eu comecei a assistir CM, agora, depois de relutar muito, uma vez que eu passei um período enjoada das séries americanas. Muitas séries policiais; muitas séries abordando exaustivamente os mesmos temas; muitas séries, bebendo exaustivamente da mesma fonte, ou seja, da realidade, que já nos aflige, no dia-a-dia. Então, eu decidi descansar e parei de assistir às séries americanas, por um tempo.

    Hoje, eu assisto à quarta temporada de CM e estou encantada em conhecer tantos atores bons com tanta química e tantos personagens inesquecíveis.

    Eu amo Reid(meu personagem predileto!, Hotcher, Prentiss e o casal Derek/Penelope. Eu lamento a saída de Thomas Gibson da série, mas eu entendo, pois só Deus e os profissionais da série sabem quem é o ator realmente e como ele se comporta, no ambiente de trabalho. Não adianta: com glamour ou sem glamour, no ambiente de trabalho sempre tem aqueles colegas insuportáveis e capazes de contaminar o ambiente e, no final, cada um tem a sua história e é um disse-me-disse.

    Eu não largo mais CM.

    Beijos, Gaby.

  2. Gabriela Santos

    Cara Simone, eu preciso desabafar! É tardio, sim, mas você já sabe: eu sou a fã tardia de várias séries de TV, que já estão na estrada há anos!

    A mulher de Aaron Hotchner tinha que morrer?! Eu amei a participação de Meredith Monroe em Criminal Minds! Ela foi perfeita, bela e interessante. Deu-me um desânimo de continuar a assistir à série…

    Ontem, eu assisti ao episódio nº 09 da 5ª temporada e achei tudo muito emocionante, porém eu esperei pela salvação de Hailey até o último minuto. Eu esperei até que ela reagisse e enfrentasse Foyet no “muque”!

    Você já está na 12ª temporada e perdendo a paciência com a série; eu ainda estou naquela situação de adorar o programa e sofrer com a saída de bons atores do elenco.

    Mas, tudo bem, vamos seguir em frente.

    Beijos, Gaby.

  3. Mariana

    Gabriela, Criminal Minds foi maravilhosa, sem sinais de cansaço, acho que até 10T (ou seria a 11T? não lembro mais), mas engraçado como depois dela a coisa foi ladeira abaixo.

Leave a Reply