Leia o livro, Assista a série: Big Little Lies (Pequenas Grandes Mentiras)

Quem me segue no Instagram ou Skoob testemunhou o quanto fiquei apaixonada pelo livro Pequenas Grandes Mentiras no começo deste ano. O best-seller de Liane Moriarty já estava na minha fila há algum tempo e o anúncio por parte do pessoal da HBO da estreia da adaptação ainda em fevereiro me fez priorizá-lo. E, depois de ler, passei a ficar ansiosa pela estreia da série, que acontece neste domingo dia 19 às 23h00, simultaneamente com os EUA. Assistir ao episódio piloto na semana passada apenas tornou a espera mais doída.

Pequenas Grandes Mentiras é centrada em três mulheres: Madeline (Reese Whiterspoon), mãe de uma adolescente de seu primeiro casamento e de uma doce menina que começará na primeira série, que trabalha em período parcial e é cheia de boas intenções; Celeste (Nicole Kidman), uma mulher belíssima, mãe de gêmeos e invejada por todos pelo casamento perfeito; e Jane (Shailene Woodley), mãe solteira de um menino que se muda para o litoral em busca de uma nova vida.

O destino das três se cruza no primeiro dia de aula e a parti daí, por decisão de Madeline, elas se tornarão algo como as três mosqueteiras em defesa das pobres mães incompreendidas.

Sim, eu usei de ironia na frase acima, mas isso é só porque eu sou uma mãe incompreendida.

E eu ainda nem contei que existe um assassinato.

Está pensando em Desperate Housewives? Hum, impossível não pensar, mas são histórias bem diferentes, ainda que essas lindas mulheres guardem segredos, ainda que algumas delas tenham muito dinheiro.

O episódio piloto foi bastante fiel ao livro, intercalando a apresentação dos personagens – além das três principais temos Renata (Laura Dern) e Boonie (Zoe Kravitz), mais duas mães com filhos na mesma sala, e os maridos Perry (Alexander Skarsgard), Nathan (James Tupper) e Ed (Adam Scott) – e cenas de uma festa a fantasia que acabou em morte.

Detetives locais interrogam testemunhas, que tem mais fofocas que fatos para contar, na tentativa de montar as peças do quebra cabeça que levou todos até aquele momento.

No livro esse quebra cabeça é montado cuidadosamente, revelação após revelação, e tudo indica que o mesmo poderá ser dito da série. Ah, e não saberemos nem quem é a vítima por algum tempo ainda.

Claro que falamos de diferentes “mídias” – estes dias li um texto ótimo chamando livro de tecnologia e ando tentada a usar o termo – e mudanças são necessárias, no entanto percebi um ou outro detalhe faltando que pode fazer diferença para quem “não leu o livro”, pequenas coisas mesmo e só vocês, que não leram o livro, poderão me contar nas próximas semanas se estou certa a respeito delas.

Falando da escalação do elenco: Reese e Shailene são as escolhas perfeitas para suas personagens (o que significa que elas são muito próximas daquilo que eu imaginava enquanto eu lia o livro), mas tenho algumas reservas com relação a escolha de Nicole: sim, ela é linda como Celeste é retratada no livro, mas lhe falta a delicadeza, a vulnerabilidade, atribuída a ela. Em contraponto, ela se saiu excelente ao transmitir os verdadeiros sentimentos da personagem quando na presença de seu marido, Perry.

O cenário é de sonhos: a história deixa o litoral da Austrália e passa para Monterey, cidade da Califórnia. Grandes planos mostram as estradas sinuosas e as praias de areia branca. As casas, com exceção do pequeno apartamento de Jane, tem janelas enormes, quase feitas somente de vidro, deixando o sol entrar e permitindo a quem passa bisbilhotar um pouco.

A luminosidade do tempo presente faz contraponto as luzes artificiais do baile a fantasia ou a luz amarelada das salas de interrogatório.

O roteiro? Como eu disse, o episódio piloto tem muito do livro em que se baseou, mas estou ansiosa para ver o que David E Kelley (de Boston Legal) trará para a história – ele é um homem recontando uma história de mulheres escrita por uma mulher.

Um dos riscos é colocar o mistério da morte no baile de gala acima da história dessas mulheres ou prolongá-lo a fim de termos mais temporadas – em minha mente Big Little Lies está mais para uma minissérie que uma série e acho que os sete episódios produzidos são um bom número para esta história.

Sim, este mistério é importante, mas são os pequenos dramas, os segredos do dia a dia que tornam essa história tão interessante.

 

3 Comentários em “Leia o livro, Assista a série: Big Little Lies (Pequenas Grandes Mentiras)”

  1. Raquel Perez

    Não li o livro e amei sua review sobre ele.
    O fato é que ontem assisti ao primeiro episódio da série e já estou completamente encantada com o que eles apresentaram e, principalmente, com a forma como a história está sendo apresentada. Não me surpreendi ao saber que David Kelley (quem amo de paixão) é o roteirista. Já estou tão envolvida que vai ser difícil esperar o próximo domingo, Si. Amo esse tipo de série que mostra que atrás da superfície das pessoas existe um mundo inimaginável. É o que senti que a série vai oferecer.
    Belo texto, Si. Amei!!

  2. fatima martins

    tambem estou a adorar a serie… de tal maneira que ja a vi 2 vezes..lol… estou pensando comprar o livro.. mas nao sei se deva estragar a surpresa….

Leave a Reply