Netflix: God Save the Queen (E os reis também)

Todos encerraram a segunda temporada de The Crown? Eu sim, logo que foi lançada eu já fui assistindo episódio a episódio, querendo matar o príncipe Philip em alguns momentos, para sermos bem sinceros. Mas o mais importante é que eu já havia feito uma imersão completa na vida da realeza britânica assistindo a outras séries de ficção e documentários e desde então estou ensaiando para indicar aqui meus favoritos, que você não pode perder.

Falarei primeiro de duas séries de ficção, depois dos documentários, tentando colocar uma ordem “cronológica” para cada categoria. Ao clicar sobre o nome você será direcionado para a página do programa na Netflix ou no GlobosatPlay.

Jenna Coleman como a Rainha Vitoria

The Last Kingdom

Eu já falei da série aqui mais de uma vez (na verdade estou devendo falar sobre o sensacional final da segunda temporada) e ela continua sendo uma das minhas queridinhas. Com duas temporadas produzidas e a terceira já confirmada, a série é exibida aqui no Brasil pelo canal History e também pode ser encontrada em DVDs recheados de extras.

Ela é uma adaptação da coleção de livros Crônicas Saxônicas (ou As Crônicas dos Guerreiros) escrita por Bernard Cornwell sobre a Grã-Bretanha dos séculos IX e X. Cornwell romantiza a história inglesa – acrescentando um pouco das lendas – e nos apresenta a Uhtred de Bebbanburg.

Uhtred seria um antepassado do Rei Arthur da lenda da espada – o nome dele pode não ser totalmente desconhecido para você – e muito novo foi sequestrado por vikings, sendo criado como um deles por uma família de lá. Já adulto ele retorna ao que um dia se tornaria o Reino Unido que conhecemos hoje para retomar o trono que ele acredita ter direito.

As duas primeiras temporadas se referem a história contada nos quatro primeiros livros, quando o Rei Alfred ainda tentava unir sob seu comando vários pequenos reinados e Uhtred é sua principal vantagem e seu maior temor. A série tem cenas de batalhas maravilhosas, um elenco inspirado e ótimo roteiro.

Vitoria

Opa, um pequeno desvio de um serviço de streaming para outro apenas para nos mantermos na ordem pretendida: Vitoria está disponível na plataforma GlobosatPlay para assinantes.

Alexandrina Vitória foi rainha do Reino Unido entre os anos de 1837 e 1901. Ela subiu ao trono com apenas 18 anos, após ter sido educada longe da corte por sua mãe de ascendência germânica, e seu reinado foi tão marcante que a expressão Era Vitoriana passou a ser usada para se referir a este.

Quando se tornou rainha, sua mãe e o assistente desta acreditavam que ela seria facilmente manipulável, mas a rainha viria a se revelar uma mulher de vontade forte e moral rígida. Ela também viria a ser reconhecida como uma hábil política, ainda que sua independências muitas vezes deixasse os responsáveis pelos protocolos reais um tanto perdidos.

Nesta série, que já tem duas temporadas disponíveis, Vitória ganha as feições de Jenna Coleman (que interpretou a companheira Clara de Doctor Who) e um charme inegável. Vemos sua ascensão ao trono, as dificuldades em enfrentar sua mãe, como acabou se apaixonando por seu primo Alberto, com quem veio a se casa, e como lidou com a dupla jornada “reinado e maternidade”. A série com certeza agradará e muito aos fãs saudosos de The Crown, que identificarão na antepassada de Elizabeth a mesma força de caráter da atual rainha – além disso, por estar mais próxima na linha do tempo da atual realeza, é mais fácil identificar as similaridades com a produção da Netflix.

A segunda temporada é especialmente deliciosa, quando Vitória já se mostra segura de si e mais desafiadora.

O historiador Dan Jones apresenta Secrets Of Great British Castles

Secrets Of Great British Castles

Nada melhor que um passeio pelos maravilhosos castelos ingleses para conhecer a história dos nobres que os habitavam, certo? A série, que conta com duas temporadas de seis episódios cada, foi produzida pelo historiador inglês Dan Jones (que também é um colírio para os olhos), escritor de cinco livros sobre os reis e rainhas do Reino Unido, além de ter escrito e produzido mais quatro programa de televisão sobre o tema.

Aqui, a medida que nos mostra as construções que sobreviveram a séculos, muitas delas com importante papel nas duas Guerras Mundiais, conta as histórias e boatos sobre seus habitantes. Os reis que teriam sido especialmente cruéis (e que teriam inspirado alguns eventos de Game Of Thrones) e aqueles que tiveram atitudes que mudaram os rumos da história.

She Wolves

Esta produção da BBC é simplesmente deliciosa!! Em vários momentos o que é contado aqui pela historiadora Helen Castor – considerada por muitos na Inglaterra uma das mais conceituadas quando o assunto é a realiza britânica e, também, cujos livros sobre o tema são constantemente elogiados por sua clareza – esbarra no que é contado no programa que citei acima.

A grande questão é que o “gatilho” para suas histórias é diferente: enquanto Dan vai e volta na história em função dos castelos que visita a cada episódio, aqui Helen Castor avança cronologicamente na história rainha a rainha. O nome da série não é à toa: enquanto homens fortes e determinados são elogiados, ainda hoje mulheres com o mesmo perfil são tratadas como dominadoras e megeras. E muitas, em posição de poder e privilégio, acabaram indo para os livros de história tratadas pela pejorativa expressão “she wolve (Loba)”, aqui revertida pela escritora para seu verdadeiro significado: mulheres que mudaram a história, a maioria com ideias muito a frente de seu tempo.

Em três episódios ela fala da primeira mulher a lutar pelo direito ao trono inglês, passa pelas rainhas esposas que mudaram o destino do reinado de seus maridos até a primeira vez em que sucederam-se no trono três mulheres: Jane, Mary e Elizabeth I.

O único defeito da série é só ter estes três episódios, particularmente eu adoraria ver Helen falando de Vitoria e Elizabeth.

The Royal House Of Windsor

Lançada em 2017 como parte das comemorações dos 100 anos da Casa Real, a série em 6 episódios fala dos principais desafios enfrentados para que ela se mantivesse no poder e não tivesse o mesmo destino das demais casas reais europeias: da escolha do nome Windsor (feita após o sobrenome da família ter sido infelizmente conectado a Alemanha que bombardeava o país na Primeira Guerra Mundial) ao escândalo do casamento fracassado de Charles e Diana, a série traz documentos da família pela primeira vez trazidos a público, bem como conta com a participação de historiadores e pessoas ligadas à família.

Passando bem longe do clima de fofoca, a série nos ajuda a entender melhor o desafio enfrentado por aqueles que vivem sua vida sob constante vigilância e com pouquíssima margem para erros.

The Royals

Muito cuidado para não confundir esta com a série “dramática” que traz uma família real fictícia – nem posso falar que a outra seja ruim, já que passei longe.

O tom de The Royals é um tanto diferente dos demais documentários que citei aqui: com cara de revista de variedades, vez ou outra ele esbarra na fofoca, mas é irresistível depois que você aperta o play no primeiro episódio. Ainda: apesar de esbarrar na fofoca, a série deixa bem claro o que é fato e o que é especulação, o que é muito importante.

Distribuída pelo Channel Five, a série traz cada episódio com um tema: escândalos, funerais, animais de estimação, crianças reais, casamentos e os jovens da família ganham o “centro do palco” enquanto depoimentos de historiadores é misturado a boatos que ficaram famosos.

Claro que meu episódio favorito é o centrado nos animais de estimação – imaginem minha alegria ao descobrir que o cão chiclete da Elizabeth é justamente um salsichalata como a minha Tequila, filho de um de seus corgis e da dachshund de sua irmã Margareth -, mas o documentário também trouxe fatos que eu desconhecida sobre o relacionamento de Eduard e Wallis Simpson após a abdicação ao trono ou sobre o príncipe Charles (olha que agora sou #teamcharles, heim?).

Se a família real é realmente um tema que você gosta, não tem como deixar essa série de fora.

Secrets Of the Tower Of London

Na verdade esse é um bônus e minha sugestão é que vocês assistam a todas da série “Secrets Of Britain” da BBC que encontrarem no catálogo da Netflix. Neste aprendemos sobre a construção deste importante símbolo inglês, o seu papel para realeza inglesa – de zoológico a prisão, de câmara de tortura a lar as jóias reais, passando por depósito de importantes documentos e, ainda, centro do poder parlamentar do país – e curiosidades sobre seu funcionamento.

Destaco ainda na série: Secrets of Westminster e Secrets Of Underground London.

P.S. E aí, tem algum filme, série ou documentário sobre a família real que você já viu e acha que vale a visita? Ou, ainda, quem que eu volte a falar de documentários por aqui? Toda semana eu mergulho neles na Netflix. Adoro.

Leave a Reply