NCIS New Orleans: Quid Pro Quo (3×19)

Eita que nessa temporada eles resolveram judiar da Loretta, não é verdade? Quase perde o filho, tem de enfrentar a culpa por ter ajudado a mandar um inocente para a cadeia e ela ainda acaba pegando um vírus mortal. Se eu fosse ela aproveitava e tirava uns dias de folga, pelo menos.

Outra questão é o Hamilton. Gente, que homem horrível!! E que falta de noção a ameaça de que ele poderia prejudicar Pride e a equipe do NCIS, ele é só o prefeito da cidade – sim, a gente sabe que ele pode conhecer um monte de gente importante, mas não dá para a teoria da conspiração ir tão longe, era mais fácil ele armar um assassinato dele do que conseguir tirar a equipe toda de um dos mais importantes portos no país. Não que matar Pride vá ser muito fácil.

Mas o que irrita mesmo é o fato dele ter jogado assim quando sabia que Pride e sua equipe estava vulnerável, com Loretta às portas da morte. Só por isso ele não somente precisa ser pego, como precisa sofrer quando isso acontecer.

Pelo menos as atitudes dele apenas confirmaram o que sabíamos: ele está por trás da morte de Garcia. E, mais, ele está envolvido de alguma forma neste “ataque biológico”. Ainda que ele seja possível que ele não soubesse o que estava rolando de verdade nessa operação, ele ganhou algum dinheiro com tudo isso porque é um tremendo canalha. Dinheiro ou troca de favores, não sei o que é pior.

E, sem sombra de dúvidas, a ameaça à Loretta funcionou bem para Sebastian. Eu vou perdendo meus receios dele sendo transformado em agente pouco a pouco. Mas ele ainda precisa encontrar o seu lugar, o seu jeito, porque fora do laboratório ele é péssimo em interações sociais.

Leave a Reply