Bull: What’s Your Number? (1×15)

Bom, acho que todo mundo dividia comigo a enorme torcida para que Bull ganhasse esse caso. E nem era por causa do Bull, mas porque do outro lado do tribunal tínhamos o conjunto do pior tipo de pessoa, aquela que se acha tão mais esperto, tão mais importante, tão mais, que todo o resto do mundo, e uma advogada que não ganhou nosso coração.

Tudo bem que a moça melhorou um pouquinho antes do final, mas eu ainda acho que estamos longe de encontrar um par para Jason.

What’s Your Number? teve a melhor abertura de episódio da série até aqui: nós víamos aquelas pessoas caminhando e ficávamos esperando por que aquilo se tornaria um caso, mas nada nos preparava para ver cada uma das amarras da ponte suspensa irem se soltando, uma por uma. Não sei vocês, mas evitarei esse tipo de travessia por algum tempo.

Ganância. O segundo maior motivo de crimes – dizem que amor é o primeiro, mas eu não consigo chamar de amor algo que causa mortes. Um homem já rico o bastante resolveu que entre atrasar a obra e perder milhões em multas, melhor seria apostar na sorte, cujo bilhete de loteria só lhe custaria muito caso morressem muitos médicos no local.

É terrível ver uma pessoa transformada em números, em dinheiro, mas a grande verdade é que isso acontece todo dia em um monte de decisões: homens que investem em insumos de construções, planos de saúde que estabelecem seu preço, seguradoras que parcelam o pagamento do seguro de vida em suaves prestações.

Só que aqui ele mexeu com o homem errado – e tirar luz do escritório para dificultar as coisas para a equipe do Bull não foi um movimento inteligente, típico de quem se julga acima dos outros – e acabou pagando com anos de cadeia. Interessante ele não ter incluído esse risco na sua conta antes de tomar uma decisão.

Se ele vai recorrer? Com certeza e a visita da advogada à casa do Bull não me pareceu um movimento correto mesmo, mas o efeito de ter perdido da primeira vez deve arranhar bastante sua imagem e garantir que ele perca de novo na próxima.

Se ele matou o gerente da obra? Nunca saberemos, não é verdade? Apenas temos certeza de que ele seria capaz de fazer isso, ainda mais considerando que o gerente havia acabado com meses de culpa e sofrimento ao aceitar depor naquele tribunal.

P.S. Episódio em que Bull mais me lembrou de Dinozzo.

P.S. do P.S. O que será que essa investigação sobre um caso que Benny julgou oito anos antes significa, heim?

 

 

Leave a Reply