Bull: Callisto (1×04)

Gente, essa série só melhora, não é verdade? É só o quarto episódio e os roteiristas já provaram que conseguem sair do lugar comum e ainda manter o que define a série, que é Bull fazendo sua mágica, mesmo quando ele não consegue montar “seu teatro” todo.

Ou melhor, a gente acha que ele não montou o teatro todo, a gente fica de queixo caído quando vê que roubaram tudo que eles tinham  sobre o caso, inclusive o caderninho de anotações, e então descobre que ele estava um passo a frente o tempo todo.

Quer dizer, ele estava um passo a frente no plano de enganar a advogada deixando-a acreditar que ele traria mil especialistas, mas ela estava um passo a frente ao derrubá-lo de bebida, roubar as suas calças e deixá-lo acordar ao lado de uma vaca – só faltou a vaca lamber a cara dele, gente! Eu ri muito com essa cena.

Tudo bem, você pode me falar que ele não usou dos meios “mais legais” (no sentido de dentro da lei) para levar esse caso, mas como ele não é advogado ele pode. Eu estava completamente inconformada com essas manobras todas dos advogados de Callisto para sempre ganharam seus casos, independentemente de seus clientes terem razão ou não. Se a gente pode achar que a situação é toda pitoresca, rola um medo danado dela ter sido inspirada em uma história real.

Porque a gente sabe que é bem isso: aqui nesse episódio foi a moça que se dedicou a descobrir um remédio que ajudasse sua irmã enquanto uma indústria não se preocupou em avançar nas pesquisas porque o público a que se destinava o remédio era pequeno. Não sou do tipo que acredita na “grande conspiração farmacêutica”, mas que eles com certeza gastam dinheiros e esforços com o que lhes trará lucro, ah, não tenho dúvidas.

E que existem advogados que não ligam para causas, mas apenas para dinheiro, ah, isso também é verdade. Mas confesso que achei estranha a atração que Bull sente pela “advogada do mal” sabendo disso… Do outro lado eu sei que é muito bom encontrar um adversário a altura quando o assunto é competição e a moça é realmente inteligente (o tipo de sexy que eu acho que Bull gosta). Acho que a questão é que nunca mais gostarei de nenhuma personagem da atriz só porque a personagem em Royal Pains deixou o Hank para trás…

P.S. Quer dizer que Bull nunca perdeu um caso?

P.S. do P.S. Eu ia dizer que ri muito da história do falso tufão, mas eu ri de tantas coisas neste episódio que não seria justo com as demais.

P.S. do P.S. do P.S. A escolha do elenco da série foi muito feliz! Se Michael já dominou completamente o personagem que, apesar do charme, é bem diferente do Dinozzo, eu estou me apegando a cada um dos demais.

Um Comentário em “Bull: Callisto (1×04)”

  1. Magda Gitter

    Isso sem falar das belas pernas de Michael. Um colírio para nossos olhos!

Leave a Reply