Chicago Med: Ctrl Alt (2×19)

Eu mal tinha pensado “poxa, até que Connor e Robyn formam um bom casal” e os roteiristas nos jogam na cara que epidemiologista provavelmente tem esquizofrenia. E se eu jamais poderia desconfiar até ali com qualquer problema mental da filha do doutor Charles, Mekia Cox fez um ótimo trabalho naquela ultima cena. E se Connor ficou assustado, devo dizer que a coisa deve ficar ainda mais complicada, já que Robyn não vai aceitar facilmente o que está acontecendo com ela e não sei como o pai vai encarar.

Na verdade a loucura foi a tônica do episódio, seja na forma do caos que tomou conta do hospital depois que o sistema foi “sequestrado” por um grupo hacker, seja de forma mais literal quando o ex-marido da Goodwin resolve dar as caras por lá levando a namorada machucada a tiracolo.

A questão da falta de sistema nos mostrou, mais uma vez, que a administração do MED é uma zona. Eu nunca vi um hospital tão despreparado para lidar com crises como este. Ainda mais se considerarmos que falamos de um hospital privado que visa o lucro – imagino que os diretores nunca tenham ouvido que processos eficientes garantem mais lucro, menos retrabalho, menos perdas.

E se até o dono da quitanda aqui do bairro sabe como agir quando o sistema cai, um serviço vital como esse é que não pode parar, certo? Um  neurologista respondendo que é simplesmente impossível diagnosticar algo sem ter máquinas foi algo muito estranho de se ver.

Bom, o doutor Latham também deve achar impossível fazer as coisas sem máquinas, mas resolveu isso de forma bastante simples: quarenta mil dólares por paz no trabalho não pareceu muito para ele.

A aparição do ex-marido da Goodwin foi daquelas coisas que são colocadas para fazer drama: ele com a namorada nova, a Goodwin tendo de lidar com a presença da moça, a moça claramente com alguma doença mais série do que um  simples corte na cabeça, a moça escolhendo contar a verdade para a Goodwin ao invés de contar para o namorado. No final das contas não consigo imaginar Goodwin conseguindo encontrar qualquer consolo na situação da moça e toda história foi bastante dispensável.

Outro drama: a Sarah achando que o doutor Charles lhe estava dando uma indireta ao falar da vaga na emergência. Eu não sei se ela na verdade não ficou assim perdida porque na verdade ela quer a vaga ou se foi simplesmente insegurança. Só sei que ela foi incapaz de enxergar que o doutor Charles só tinha cabeça para a falta que o seu tablet lhe fazia…

Agora, o que não teve lá muito foco no episódio, mas que chamou minha atenção: alguém achou que a April e Choi podem virar um casal?

P.S. Namorada do Halstead tentando marcar terreno com a história da camiseta foi patético.

P.S. do P.S. Maggie é a melhor personagem na fase atual, né?

P.S. do P.S. do P.S. Impressão minha ou esqueceram de nos contar que o Halstead não mora mais com a namorada? Pelo jeito que ela falou com a Natalie ele agora mora com o Jay e não com ela, só que em PD o Jay falou que ia para o apartamento dele. E eu fiquei toda confusa.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Acho que Noah encontrou seu herói no Choi. Acho que agora ele deve se alistar e passar um tempo nas forças armadas. Vai fazer bem a ele.

 

Leave a Reply