Chicago Justice: Friendly Fire (1×05)

Olha, dizer para vocês que eu torci para o procurador realmente demitir o Stone. Não, não é que eu concordasse com a ideia do procurador de proteger o tal segredo, é que se o Stone fosse demitido eu teria um motivo definitivo para abandonar a série de vez e vamos combinar que é terrível quando você assiste a um episódio torcendo para ter um motivo para deixar o barco.

O duro é que o caso da noite gerou uma boa história: até que ponto um segredo como o da tal operação militar deveria ser protegido? Devemos perdoar as mentiras contadas na intenção de que a população não perca a confiança no que suas forças armadas estão fazendo lá fora?

Assim como o juiz que decidiu que a fita poderia ser usada no julgamento do assassinato do ex-fuzileiro arrependido, morto de forma bastante fria pelos seus ex-colegas que não queriam a verdade revelada – eu acredito que esconder algo assim só seria justificado se colocasse em risco a vida de outras pessoas.

Não era o caso aqui.

Então, quando o Jefferies proíbe o uso da fita eu apenas tive mais um motivo para não gostar dele, para não me conformar por um cara assim estar na posição que está e nem a cena final o salvou do meu julgamento. Um homem que acha que um segredo pode ser guardado ainda que assassinos saiam livres não deveria ser um representante da justiça, certo?

'

P.S. Cada vez entendo menos: o pessoal da investigação dentro da promotoria não seria apenas para ajustes finos no caso a ser apresentado? Porque aqui eles investigaram o caso do início ao fim….

P.S. do P.S. Do outro lado, graças a grande participação deles comecei a gostar da dupla Nagel e Antonio.00

Leave a Reply