Chicago Med: Prisoner’s Dilemma (2×16)

Olha, podemos combinar que foi um dia bem difícil nos corredores do Chicago Med, não é verdade?

Começaremos falando de Sarah e a menina do instituto psiquiátrico: assim como Halstead eu acho a medicina do corpo bem mais fácil que a da mente. Mas eu acho que a intuição de um bom médico vale mais que o discurso raivoso de outra que pode realmente apenas não querer admitir que errou.

Principalmente quando ela responde para o doutor Charles que não conhecia o histórico da garota e sua mãe – sempre achei que conhecer a vida, o passado, de um paciente psiquiátrico é uma das partes mais importantes do diagnóstico. Fico na torcida para que a trama não seja esquecida e que os roteiristas retomem esta história mais a frente.

De qualquer forma é muito triste imaginar uma garota saudável presa em uma instituição psiquiátrica por meses e sem que ninguém lhe desse ouvidos.

Mas essa não foi a pior trama da noite, não é mesmo? A descoberta de que uma garota em coma há 5 anos na verdade passou esse tempo todo consciente e presa em seu corpo sem poder se comunicar. Pior: acabou sendo abusada na clínica em que estava internada e agora está grávida. Gente, eu já achava tudo triste demais sem ela consciente do que havia passado, agora, nossa.

Algum consolo na noite acabou vindo da menina que tinha um problema respiratório grave e que pode ser salva por Rhodes e Latham – o que dizer dos dois mais novos BFFs do mundo das séries? Sua mãe fez o sacrifício de se colocar como mula do tráfico para levá-la aos EUA e quase morreu por isso. Tendo escapado, quase foi para a prisão. April é quem apela para Choi e Jeff para que isso não aconteça e meu coração se dividiu: entendo April querer ajudá-la, entendo Choi querer fazer o que é certo.

Eu também não queria ser colocada na mesma posição que ele foi colocado.

P.S. Eu desde o começo achei que Latham precisava fazer algum acompanhamento com psicólogo além das sessões do tratamento que ele está fazendo e na cirurgia de hoje isso ficou bem claro. Uma pessoa que cresceu sem perceber as nuances do comportamento humano com certeza ficaria sobrecarregada pelas emoções recém descobertas.

Um Comentário em “Chicago Med: Prisoner’s Dilemma (2×16)”

  1. Cleide

    Ainda bem que a Goodwin teve clareza de espírito para não mandar a mãe pra prisão.

    Diagnosticar os mentalmente sãos dos problemáticos é muito difícil pois o ser humano é o rei da enganação.

    Estou achando que o Dr Latham vai voltar as origens para retornar a sua situação de médico.

    E o Noah, irmão trapalhão da April apareceu, graças que foi curto pois ele é o que menos curto na série.

Leave a Reply