Legends Of Tomorrow: Fellowship of the Spear (2×15)

Quando as lendas falaram que precisariam recuperar sangue de Deus e eu sabendo que passaríamos pela Primeira Guerra eu jamais esperaria que nossos amigos teriam que conversar com J.R.R. Tolkien (ainda que sua religiosidade tenha sido motivo para muitas de suas conversas com o contemporâneo Carroll Lewis (autor de Alice no País das Maravilhas).

Ao autor de uma das obras mais lidas no mundo coube ajudar o pessoal a tentar destruir a lança, refeita após eles terem buscado o pedaço em poder da Legião do Mal no Ponto de Fuga, o que despertou em Mick lembranças do amigo Snart. No começo eu até achei que ele havia enlouquecido de vez, mas após o soco eu comecei a desconfiar que alguém estaria se passando pelo nosso querido Capitão Frio.

Ter o Capitão Frio de volta ainda não foi processado completamente – efeito dele ter morrido no Ponto e Fuga mais uma mãozinha do Flash do mal – mas ela foi fundamental para que o time acabasse perdendo Mick e isso me doeu profundamente. Há um bom tempo ele já havia deixado de ser simplesmente o alívio cômico dos episódios e ao ver como o roteiro o conduzia na direção da traição eu ficava torcendo para que ele ficasse.

O problema é que o restante do time não ajudou nada para que isso acontecesse, não é verdade? Fiquei pensando em quantos momentos ao longo dos últimos episódios o Mick havia tido momentos importantes com quase todos os personagens, mas isso nem sequer foi lembrado por eles na hora de desconfiar do comportamento dele.

Mais que isso: se pararmos e olharmos com cuidado a forma como eles sempre trataram Mick, bem, até que ele demorou a trocar de lado.

A troca neste momento acabou tendo mais impacto porque ele levou com ele a lança e qualquer chance do grupo destrui-la.

P.S. O que dizer das muitas referências às obras de Tolkien? <3

P.S. do P.S. Nunca na Primeira Guerra Mundial o uniforme das enfermeiras foi tão limpo.

 

Leave a Reply