Supernatural: Somewhere Between Heaven and Hell (12×15)

Eu sei, eu sei, Sam e Dean são irmãos e a gente adora essa parceria, mas toda vez que eu vejo o Dean com o Crowley fica tudo tão mais divertido, até pelo fato de um deles ser um demônio, que eu saboreio estes momentos intensamente. E ainda tem o fato do Dean ficar ainda mais lindo de óculos – quando eu acho que isso não é possível…

Além do mais, o episódio trouxe de volta os cães do inferno e histórias que envolvem os cães invisíveis são sempre boas.

Desta vez eles não estavam atrás de alguém que vendeu sua alma. Nem eram eles, na verdade, mas Ramsey, a primeira de todas, a cadela que foi levada para o inferno por Lúcifer quando este foi expulso do céu e da qual nasceram os demais. Ela obedece apenas a Lúcifer e foi fácil entender a pressa de Crowley em resolver essa questão – realmente não pegava bem para os negócios.

Como também foi fácil entender porque aqueles dois demônios soltaram a cadela e acharam que estariam com vantagem se soltassem Lúcifer. Esse pessoal ainda não aprendeu? Não tem essa de fazer acordo com quem é rei do inferno, muito menos fazer exigências. os dois acabaram mortos antes mesmo de piscarem – o segundo ainda foi um pouquinho mais esperto sem fazer exigências e dizendo que apenas queria o “bem do inferno”.

Ramsey acaba achando uma bela adversária na moça que a acerta com o machado e que depois ajuda Sam a finalmente derrubá-la. Moça que também gostou do Crowley e até que reagiu razoavelmente bem ao fato de que inferno, demônios e coisas assim existem de verdade.

E colocar os dois irmãos trabalhando com Crowley foi uma boa forma de nos convencer que Dean aceitaria trabalhar com os Homens das Letras – afinal ele também não confia no rei do inferno.

Achei inclusive que eles iam ter de salvar a pele dele quando Lúcifer se libertou, mas desata vez ele realmente caprichou no seu plano e eu não faço ideia de como é que Lúcifer vai conseguir se livrar do feitiço agora… Talvez Dagon tenha que ajudá-lo?

E, já que estou falando em gente em quem não confiamos: se eu fosse Castiel não confiaria muito nessa vontade toda dos anjos de tê-lo no time e perdoá-lo. Ainda que o filho de Lúcifer seja uma ameaça e tanto, eu não confiaria neles.

P.S. O que dizer da Lucile dando uma passadinha? Lucile, para quem não acompanha The Walking Dead, é o bastão de Negan, personagem interretado por Jeffrey Dean Morgan, o papai Winchester.

2 Comentários em “Supernatural: Somewhere Between Heaven and Hell (12×15)”

  1. Nêssa

    Esse episódio foi ótimo mesmo, e a gente nem sabe pra que lado o coração bate mais forte, esses 4 são demais, mas Crowley manda muito bem….

  2. Cleide

    Que episódio, senhoras e senhores !!!

    Será que sou uma maluca sociopata ao dizer que vibro quando Lucifer manda bem no episódio ? e depois perde de lambada pelo Rei do Inferno e eu dou palmas ?

    heheheheheheh …. só Supernatural para conseguir isso 😀

Leave a Reply