The Librarians: And the Trial of the Triangle e And the Curse of Cindy (3×06 e 3×07)

Quando And the Trial of the Triangle começou com a tal intervenção do Flynn eu pensei por uns momentos: poxa, depois do tão divertido episódio dos palhaços vai ter episódio chato? Eu não poderia estar mais enganada: foi tão divertido quanto o anterior, teve milhões de referências e, ainda, nos revelou que não é somente Eve que terá um papel crucial na luta do bem contra o mal.

O motivo da intervenção foi justificado: nosso amigo Flynn não consegue mesmo trabalhar em equipe, sempre com essa ideia de proteger os demais e se arriscar sozinho, no final das contas apenas colocando todo mundo em risco, só que a cena estava pecando pelo drama, principalmente quando a Eve resolveu encostar o “quase namorado” na parede.

Porque eles ali falavam de Flynn ferindo os sentimentos dos demais membros da equipe e não do fato de que isso colocava em risco todo mundo e isso parecia fora de propósito em um momento em que a prioridade deles deveria ser impedir o mal.

Aí a jogada do roteiro foi nos mostrar que essas duas coisas não estão separadas: se você está no time do bem você também precisa ser uma pessoa melhor. Então, ainda que Flynn não convença muito como rapaz arrependido, ele inicialmente apenas entende que precisa reconhecer seus defeitos para conseguir o que quer, sua jornada pelo mundo de Lewis Carroll funcionou e ele conseguiu o que queria, o Olho de Rá, ainda que trabalhando sozinho.

Esperamos que a lição de que eles precisam trabalhar juntos tenha sido aprendida.

Em And the Curse of Cindy  a DOSA estava lá de novo para incomodar nosso pessoal, ainda que de novo só tenham provado sua incompetência – desconfio que os agentes a DOSA são os reprovados em Quantico, sendo que os aprovados em Quantico foram aqueles que trabalharam em The Following. Em resumo, todos umas bestas.

Deu bem mais trabalho a moça magoada em um reality show que resolveu usar uma poção de amor para ser amada por todas. Como não era bruxa, usou uma para fazê-lo. Como dificilmente bruxas tem algo de tolo, quando a moça se arrependeu, bem, a bruxa não deu a mínima bola para ela, claro.

Ainda mais quando esta bruxa está tomada por Apep. Sim, você achou que esse episódio nada tinha a ver com a trama da temporada e bumba, bem no meio da sua cara. E Apep precisa voltar ao seu túmulo para se recuperar cada vez que um plano dele dá errado. Definitivamente eles precisam descobrir aonde o sarcófago está. Prioridade número um.

E quem diria que Ezequiel seria o único imune a uma poção do amor? Achei fofinho ele estar apaixonado pela Cindy, ainda que eu tenha comprado totalmente a ideia de que ele era simplesmente apaixonado por ele mesmo. E essa foi a segunda que ele foi o único da equipe a não ser afetado por magia (na outra vez ele já era a pior versão dele mesmo, lembram?).

Ah, esse episódio teve muita cara de Psych, não teve? Aquele povo todo obcecado era ao mesmo tempo engraçado e assustador.

P.S. A passadinha de W. Morgan Sheppard em The Trial foi muito querida! Adorei a escolha.

P.S. do P.S. O pessoal do aeroporto era bem ruinzinho, não é? Além de ficarem distraídos pela cena de Eve e Flynn deixaram o agentda da DOSA entrar no avião com uma arma.

P.S. do P.S. do P.S. Agente que virou uma galinha. Confesso que eu ri horrores com toda a coisa do hipnotismo.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Aha, Flynn usa magia toda vez que usa a frase “We are librarians!”.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Jake e Flynn apaixonados um pelo outro: sem preço.

Um Comentário em “The Librarians: And the Trial of the Triangle e And the Curse of Cindy (3×06 e 3×07)”

  1. Cleide

    Foi lindo ver o Jake e o Flynn se declarando, ainda bem que o Zeke gravou tudo, morri de rir.

    Alguém me explica o pq da troca dos “Y” no nome da Cindy ? os seguidos soletaram o nome da Cindy sendo CYNDI … não entendi, até olhei a legenda e também estava CYNDI.

Leave a Reply