NCIS New Orleans: If It Bleeds, It Leads (2×18)

Tá, errei. Eu apostei TODAS as minhas fichas em Daniel como o assassino da irmã da Brody. TODAS. Eu fiquei ali xingando a agente enquanto ela contava a ele que ela achava que o recente assassinato do jornalista e fuzileiro estivesse ligado à morte de sua irmã. Eu tinha tanta certeza de que ele era o culpado que fiquei imaginando que ele acabaria por tentar assassinar a Brody quando ele a chama para conversar.

E o papo dele de que ela deveria passar por cima, esquecer o passado e que ele tinha uma noiva apenas me fizeram ter mais certeza disso. Aqui entre nós eu fico pensando se os roteiristas não decidiram de última hora que seria o pai dele, apenas porque perceberam que tudo havia ficado óbvio demais.

 

 

Se eu for analisar mais friamente, na verdade, a impressão toda é que eles lembraram que tinha levantado a questão sobre a morte com as tais fotos e então falaram: vamos ter de dar um jeito de envolver a equipe nisso. Eles apenas podiam ter sido mais cuidadosos com o como, afinal não dá para entender por que a equipe do NCIS seria chamada para investigar um atropelamente sem qualquer indício de assassinato.

Falando nisso: assassinato por atropelamento não me parece a forma escolhida por um profissional para executar o seu trabalho.

Ainda assim foi um bom episódio, simplesmente porque ele foi pessoal e nós nos importamos com eles. Sim, esse á um episódio que funciona se você realmente se importa com a Brody, caso contrário você deve ter odiado o episódio.

Sim, New Orleans comemora fervorosamente o Dia de São Patrick, por mais estranho que possa parecer para quem olha de fora. Mas, como King explicou muito bem, o pessoal da cidade apenas precisa de uma desculpa para poder fazer uma nova festa.

Leave a Reply