HBO Brasil lança O Homem de Sua Vida

É possível ser honesto em um mundo desonesto?

Esse é, se escarafuncharmos bem, o mote de O Homem da Sua Vida, nova produção da HBO América Latina que estreia em 8 de janeiro. E quem irá tentar nos responder a esse questionamento – enquanto tenta ele próprio descobrir essa resposta – é Hugo (Augusto Madeira), que apesar de viúvo, desempregado e com um filho adolescente para criar, é honesto.

Ou era honesto.

Tudo porque Glória (Ângela Dip) – sua prima e, literalmente, parceira de crime – o convence a se tornar o “homem da vida” das clientes de sua agência de relacionamentos. E no meio desse caos todo, o resguardado Hugo precisa se reinventar, superar o trauma de ter se tornado um mentiroso e, principalmente, achar uma forma de ser honesto em sua desonestidade.

Falando assim parece complexo demais. Ou profundo demais. Ou até mesmo chato. Mas não é.

Série O Homem da sua Vida – HBO/Gullane – Local: São PauloData: Junho/ 2014 – Foto: Aline Arruda

O piloto de O Homem de Sua Vida conseguiu deixar claro que o seriado, apesar de se fundamentar em estereótipos – ou bem por isso, já que nossas timelines do Facebook são um relato vivo de que eles existem por uma razão – estreia com a missão de fugir de ser “mais do mesmo”. Um roteiro bem construído com tomadas prosaicas e personagens críveis e bem construídos fizeram os quarenta e tantos minutos de episódio voarem.

É claro que a produção pode acabar não entregando o que promete. Que a fórmula “caso da semana plus arco central”, já um tanto batida, pode se mostrar um tiro no pé. Que a decisão de retratar o universo feminino através dos olhos de um homem pode descambar pro machismo. Mas minha torcida é para que nada disso aconteça e para que possamos acompanhar a jornada de Hugo. Que poderia ser aquele nosso primo traumatizado pelo amor. Aquele nosso vizinho que finge ser o que não é. Aquele nosso amigo que acha que varrer a dor pra debaixo do tapete faz ela desaparecer. Que poderia ser você.

Que poderia ser eu.

E é esse o maior trunfo da série: criamos empatia com seus personagens complexos e dicotômicos e isso faz com que tenhamos a sensação de estar assistindo ao desenrolar dos dramas e das tramas amorosas de um amigo próximo e querido.

Ah, e quem não quer descobrir se é possível ser honesto em um mundo desonesto?

Honestamente (rá), mal posso esperar para descobrir se Hugo será o homem de nossas vidas.

Leave a Reply