Hannibal: Contorno (3×05)

Em um típico almoço italiano não se encontrará um prato único: o italiano não gosta da mistura de sabores e sempre prefere a simplicidade. A refeição completa começa pelo antipasto, que pode incluir torradas, embutidos, queijos; passa pela salada leva da primavera; continua com o primo piatto, que pode ser um tipo de macarrão, um risotto ou uma sppa);  e em seguida chega o secondo piatto, geralmente de carne ou de peixe, acompanhado por verduras e legumes, chamado de contorno.

Como eu disse na semana passada, os produtores de Hannibal inverteram um pouco as coisas ao trazerem o “aperitivo” no meio da refeição ao invés de antes de tudo. Tal fato também é marcado pelo fato pela história do episódio em questão ser aquela que nos explicou os fatos ocorridos após o “massacre” do final da temporada passada, ou seja, ele poderia mesmo ter sido o primeiro episódio da temporada.

Talvez tenha sido o acaso, apenas uma má decisão narrativa, talvez seja porque pela primeira vez Fuller se viu desafiado em transportar a história dos livros para a telinha e isso ficou ainda mais marcante para mim em Contorno.

Vocês poderiam me dizer, assim como um amigo me disse, que afinal não existe nenhum livro com a história de Will perseguindo Hannibal e é verdade, no entanto, ao ter a constante sensação de que eu já havia “lido” aquelas cenas eu resolvi retomar a leitura do terceiro livro da quadrilogia – sim, nos anos dois mil ela passou de trilogia para quadrilogia com o lançamento de A Origem do Mal – e confirmei minhas suspeitas: o que vemos nesta terceira temporada é a passagem para a tela dos fatos ocorridos no livro, alguns diálogos, inclusive, apresentam exatamente as mesmas palavras.

Sim, em Hannibal, o livro, temos Clarice Sterling ao invés de Will Graham, por este motivo os produtores dividiram entre os diversos personagens o papel da oficial do FBI no livro, ainda mais após a escolha de deixar Will na busca pelo passado de Hannibal e sua irmã, o que no livro acontece apenas nas lembranças do canibal.

Assim, Alana, Bedelia e Jack assumem partes da personagem: Bedelia é a Clarice do fim do livro, Alana é a Clarice tentando prender o canibal, Jack uma versão do que é feito por Pazzi e pensado por Hannibal no livro.

E daí meu comentário lá em cima sobre as decisões de Fuller: levar Jack ao encontro de Hannibal pode ter sido visualmente bonito, a briga dos dois com certeza foi, mas tirou bastante de um brilho que eu acredito deveria ser de Will – no livro Hannibal descobre o plano de Pazzi, o mata, do mesmo modo que na série e com o mesmo diálogo, e então consegue fugir de um bando de sequestradores levados ao local, depois de também derramar o sangue deles.

Talvez ao fazer isso Fuller tenha perdido um pouco do brilho de quando escrevia apenas inspirado pelas histórias originais, talvez ao repartir o que apenas uma pessoa fazia no livro em várias pessoas ele tenha acabado por dar tamanha lentidão à série que acabou resultando em várias reclamações.

Hannibal Contorno 3x05 s03e05 Hannibal Pazzi

Do outro lado, e talvez por isso eu não tenha reclamações, existe uma valorização do personagem que dá nome a série, que nas duas primeiras temporadas foi um tanto ofuscado por Will. Esse tempo longe faz com que Hannibal seja o único “astro” em movimento.

Talvez depois de mais uma traição Will retorne forte o bastante para ficar a altura de Hannibal? Talvez…

 

Leave a Reply